sábado, 4 de fevereiro de 2012

CONHECENDO A REDE LUCY MONTORO - PARTE 1

Em outubro de 2011, refletia sobre a necessidade de fazer fisioterapia, por conta de uma recuperação visível e inesperada, que meu corpo começou a apresentar.

Há pelo menos 9 meses que tomo um suco verde, incrementado pelo meu amigo Jorge Matsubara, que além desse suco, se utiliza de acupuntura e exercícios físicos para manter seu tônus muscular praticamente intacto, apesar da ataxia que o acomete há vários anos.

Comecei a perceber que apesar de não ter o acompanhamento médico ou fisioterápico e de ficar o tempo todo sentada sem os movimentos, ganhei massa muscular, peso e me senti melhor em vários aspectos. Chegara finalmente a hora de movimentar-me. Como eu faria isso?

De fato, a minha preocupação também se estendia ao meu filho Fábio. E, como sempre acontece em minha vida, o universo conspira para me trazer aquilo que eu preciso, e inexplicavelmente na hora certa.

E foi assistindo no telejornal da região, que vi a inauguração do centro de reabilitação Lucy Montoro aqui em São José dos Campos. No mesmo dia, pesquisei na net informações sobre o que oferecia, como nos inscrever e se seria o lugar para o que procurava.

Através de um telefonema, deixei cadastrado meu nome e o do Fábio e é claro, imaginei "já vi que vão demorar uns meses pra nos contatar... Essas coisas do governo são assim mesmo..."

Para minha primeira surpresa, 3 dias depois marcaram nossa primeira entrevista e em seguida a definição de nossas necessidades principais, fisioterapia, terapia ocupacional, psicologia, assistência social, cuidados de enfermagem, condicionamento físico, nutrição, fonoaudiologia e até adaptação em informática.

Na verdade, tudo isso me pegou de surpresa! Depois de tanto tempo em casa (leia o texto anterior sobre minha síndrome de hermitão rsrs), tive que me ajeitar, me adaptar e me virar para frequentar 3 vezes por semana, no período da manhã, ficando claro que faltar representa perder a vaga. Todo esse enunciado, para dizer que nesses 2 meses, minha vida mudou novamente...

Todos os meus medos, todas as minhas dores, toda a falta de adaptação no carro, na cadeira (aquela que me machuca o tempo todo), tudo isso teve que ser superado para eu estar lá, comprometida com mais uma meta. Mais que a própria meta, tive que pela primeira vez, optar por cuidar de mim, deixar que as coisas do trabalho se arranjassem por si só. Acho que a palavra certa é CONFIAR.

Confiar que o improvável há mais de um ano era essa recuperação surpreendente, física e emocional, que mais uma vez a vida me presenteia. Mais que esse presente, ver que as coisas de casa, da família, dos meus filhos, tudo caminha muito bem e sem o meu controle.


Falando sobre Lucy Montoro

Começamos as terapias na formação dos primeiros grupos, com o centro praticamente vazio e o acolhimento carinhoso de todos os profissionais acaba por ser mais uma motivação, tão necessária para que de alguma forma possamos reativar, reabilitar, reviver não só movimentos perdidos, mais que isso, confiança e vontade para seguirmos em frente, trilhando se possível novos caminhos com diferentes possibilidades.

Toda estrutura oferecida é nova e com equipamentos modernos, extremamente organizado e os atendimentos sempre com horários pré-determinados.

Um dos grandes preconceitos em relação à rede pública é a eficiência ou não do que é oferecido. Mas o que posso declarar é a grande vontade de todos os profissionais em primar por um atendimento especial para cada paciente, mais que isso, fazer com que todo o sistema esteja organizado, promovendo suprir toda e qualquer necessidade que cada pessoa possa precisar.

Além das atividades que estou recebendo, o Lucy Montoro oferece acompanhamento para as mais diversas deficiências físicas, como lesões medulares, doenças neuromusculares, paralisias, tetraplegias, AVC, órteses ou próteses, bem como fornecimento de cadeiras de rodas e adaptações que se fizerem necessárias. Tudo isso gratuitamente. Através da assistente social, o paciente poderá contar também com as solicitações para vans adaptadas ou ambulâncias.

Enfim, podemos encontrar todo acompanhamento de reabilitação e inclusão na sociedade, tudo isso em um só lugar. Espero que como eu, outras pessoas possam usufruir de mais esse benefício proporcionado pela cidade de São José dos Campos.

Essa é apenas a primeira parte da história...



Abraços a todos!

6 comentários:

Rosemari disse...

Querida Marli,admiro muito sua força e determinação,tenho lido suas postagens,muito bem colocadas,suas experiências são fascinantes apesar de dolorosas e sofríveis.Pessoas como você fazem a diferença,torço por você,e o que depender de nossas amigas e amigos do Lucy,tudo vai dar certo,abraços com carinho Rose!!!

Feel Like a Queen disse...

Marli!!! Sou sua fã número 1!
É incrível como você é inspiradora!
Obrigada!

Lunagrim disse...

Marli,
que bom você postar com mais frequência. É isso aí, menina. Nem preciso dizer pra você confiar, pois sua fé supera a fé de qualquer outra pessoa que eu conheça. Espero que essa nova etapa renda frutos, para você e para o Fabinho. Gde beijo.

Nadia disse...

Marli,

Você não imagina como essa ótima noticia me deixou feliz!!!
Tudo o que desejamos é ver vocês cada vez mais fortes, cheios de energia e confiantes de que tudo é possível de ser transformado.
Obrigado por compartilhar as suas conquistas e sonhos.
Que a cada amanhecer, a fé e a alegria seja redobrada.
Beijos...

Vania de Castro disse...

TRENZINHO DO CAIPIRA
Vania de Castro
5 de março de 2012
para Marli Cassiano

quanto tempo existe em nós, quanto tempo
tempo para rever, reinventar e ressignificar a vida
tempo para brincar, estudar, descobrir, trabalhar, relaxar, lutar
tempo para aprender a confiar
tempo para escutar
Trenzinho do Caipira,
do grande mestre Heitor Villa-Lobos
numa data tão especial
e viajar por entre verdes matas
e sonhar...
o balanço do trem me leva distante
e voo em azuis e brancas nuvens
macias
quase uma dança no início da noite
um sentimento de profunda alegria brota
lá dentro do meu coração
a esperança existe e está vestida de notas musicais
pinceis e cores
movimentos corporais
e muito mais.
daquele velho ser humano
brota o novo
mais humano
ético
generoso
respeitoso
carinhoso
e sabe amar incondicionalmente!

Você e Villa-Lobos me inspiraram e escrevi!
Beijos e abraços cheios de carinho.
Vania

IVONE-ASOP disse...

MARLI NAO TE CONHECI MAS ADOREI SUA POSTAGEM,REALMENTE O LUCY NOS AJUDOU MUITO,EU TENHO AMPUTAMENTO DO DOIS PES POR CAUSA DE UMA DOENÇA NAS ARTERIAS,MAS TIVE O PRAZER DE CONHECER O FABIO NA OFICINA NO LUCY!BJOS